rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 13 ago 16:47

​Inês Henriques à Renascença: “Nos últimos 200 metros já estava a chorar”

​Inês Henriques à Renascença: “Nos últimos 200 metros já estava a chorar”

“Não posso pedir mais. Foi um dia fantástico. É a recompensa de 25 anos de trabalho”, afirma a campeã do mundo dos 50 quilómetros marcha.

Esforço, entrega e lágrimas. Muitas lágrimas. Foi assim que Inês Henriques descreveu à Renascença a vitória nos 50 quilómetros marcha nos Mundiais de Atletismo, que decorrem em Londres.

“É indiscritível, sem dúvida nenhuma. Nos últimos 200 metros eu já estava a chorar, porque não estava a acreditar que tudo aquilo era possível e chorei muito no final”, conta a atleta portuguesa.

“Eu consegui cumprir todos os objectivos traçados para esta prova, que era ser campeã do mundo, bater o recorde do mundo e fazer menos de 4 horas e seis minutos, que era o mínimo que eles exigiam para os homens”, sublinha Inês Henriques.

A marchadora destaca o facto de ter retirado dois minutos e meio ao recorde do mundo.

“Não posso pedir mais. Foi um dia fantástico. É a recompensa de 25 anos de trabalho”, conclui Inês Henriques.

A portuguesa Inês Henriques conquistou este domingo a medalha de ouro na prova dos 50 quilómetros marcha dos Mundiais de Atletismo, que decorrem em Londres.

Além do lugar mais alto do pódio, a marchadora bateu o recorde do mundo da distância que já estava em seu poder.

Inês Henriques estabeleceu um novo máximo de 4.05.56 horas, tirando dois minutos e 29 segundos ao recorde anterior.

1
1