pplware.sapo.ptpplware.sapo.pt - 18 jul 11:00

Análise OnePlus 5 - RAM, Câmara, Ação!

Análise OnePlus 5 - RAM, Câmara, Ação!

Nos últimos tempos tivemos oportunidade de testar o fantástico OnePlus 5. Hoje apresentamos a análise detalhada a um dos melhores smartphones do mercado.

No mundo dos smartphones, o OnePlus 5 era um dos modelos mais aguardados do ano. Embora, após o lançamento, várias críticas se tenham feito ouvir, este continua a ser um dos melhores smartphones do mercado.

Nas últimas semanas pudemos testar este excelente smartphone e contamo-vos agora a nossa experiência.

A OnePlus é uma marca chinesa que se destaca por lançar bons smartphones a preços considerados justos. O OnePlus 5, embora a um preço mais alto que o costume, continua a manter uma política de preços abaixo dos grandes topos de gama do mercado, oferecendo características de topo.

Desde cedo que este novo modelo tem estado debaixo de críticas quer pelo design, preço, falta de OIS, falta de certificação IP68, entre outros. Mas como nem só de pontos negativos se conta a história, o OnePlus 5 dispõe de uns fantásticos 8 GB de RAM aliados a um processador de topo, entre outros elementos que o tornam num verdadeiro flagship.

Características gerais

O One Plus 5 utiliza um ecrã Optical AMOLED de 5,5″ com resolução FullHD (1920×1080) com tecnologia DCI-P3. O processador que incorpora é o Qualcomm Snapdragon 835 com quatro núcleos Kryo a 2.35 GHz e outros 4 a 1.9 GHz, acompanhado pela GPU Adreno 540. Possuí 6 ou 8 GB de RAM LPDDR4X e 64 ou 128 de armazenamento interno do tipo UFS 2.1 Dual Lane.

Sendo a fotografia um dos grandes focos do novo OnePlus 5 contamos com uma câmara dupla com sensores Sony, desenvolvidos à medida, de 16 MP, com abertura focal de f/1.7 e 20 MP com abertura focal de f/2.6. A câmara frontal é de 16 MP.

Podemos ainda contar com uma bateria de 3300 mAh com Dash Charge, sensor de impressão digital frontal com desbloqueio em 0,2s, Bluetooth 5.0, NFC, CAT12/3CA, Jack 3,5mm e Android 7.1.1 com interface Oxygen OS.

Hardware e design

Uma das grandes críticas ao OnePlus 5 é, sem dúvida, ao seu design que, para muitos, é considerado uma “cópia” do iPhone 7 Plus. Na verdade, ao pegar nele, percebemos que afinal as parecenças não são assim tantas, com a câmara a ser o elemento mais comparativo. De resto, na parte frontal nota-se uma evolução do OnePlus 3/3T, enquanto na traseira se destaca um misto iPhone 7 Plus, Huawei P10 e outros traços próprios.

No geral, é um smartphone elegante, com uma excelente qualidade de construção, bastante sólido, mas, no entanto, bastante escorregadio, pelo que recomendo o uso de uma capa protetora.

Na parte frontal encontramos o ecrã AMOLED de 5,5″, a câmara frontal de 16 MP, os sensores de luminosidade e proximidade, o auscultador, sensor de impressões digitais e dois botões capacitivos.

Na lateral, do lado esquerdo, está localizado o botão de controlo de volume e o Alert Slider, enquanto que no lado direito se encontra o botão de ligar/desligar e o slot de cartões (Nano-SIM).

Em cima não existe qualquer elemento e, por baixo, está inserido o altifalante, o microfone principal, o jack 3,5mm e o conector USB Tipo-C.

Por fim, na traseira, encontramos a câmara dupla, um microfone secundário, o flash LED duplo e o logo identificativo da marca.

O ecrã, que tem sido outro componente muito discutido, é idêntico ao que equipa o OnePlus 3/3T e apresenta boas cores e uma boa qualidade de imagem. Como ponto negativo, aponto a má prestação na rua com luz solar incidente, sendo a legibilidade um pouco afetada. No modelo de testes, apenas se nota um efeito muito suave de gelatina, não sendo praticamente perceptível.

A nível de som, o altifalante é bastante bom, reproduzindo os sons altos sem distorções.

O que diferencia o OnePlus 5?

Embora envolto em alguma polémica, o OnePlus 5 traz algumas características diferenciadoras e que o tornam num excelente smartphone.

RAM, RAM e mais RAM

O OnePlus 5 foi lançado em duas versões, variando a configuração de RAM e armazenamento interno. A versão base traz 6 GB de RAM + 64 GB de armazenamento interno e a outra versão oferece 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno.

A versão de 8 GB de RAM oferece uma quantidade assustadora de memória e promete um multitasking generoso que iremos falar mais à frente.

Alert Slider

Numa área onde as boas inovações são facilmente copiadas entre marcas, nunca percebi o porquê das marcas Android nunca terem importado tradicional botão físico para tirar o som ao smartphone. Embora nunca tivesse utilizado, visto que o meu percurso foi feito integralmente nos smartphones Android, sempre fiquei curioso pela sua utilidade.

Quando a OnePlus anunciou, no seu OP2, o Alert Slider, fiquei satisfeito por finalmente uma marca Android ter optado por esta solução, além de ter ficado claramente curioso por testar no meu dia-a-dia.

Depois de utilizar vários dias o OnePlus 5 e tiradas as teimas sobre este botão, posso afirmar que é bastante útil a utilização deste botão, permitindo silenciar o smartphone de forma rápida e simples.

O Alert Slider tem 3 posições e permite selecionar o modo normal, o modo não incomodar e o modo silencioso com um único deslizar de botão.

Nas definições é possível personalizar cada um dos modos, podendo ser indicado que tipos de sons devem ser reproduzidos e que notificações devem ser exibidas.

Snapdragon 835 e 128 GB de armazenamento interno

Além da enorme quantidade de RAM, o OnePlus vem ainda acompanhado por um dos melhores processadores de mercado, oferecendo um excelente desempenho sem desiludir.

A nível de armazenamento interno, o OnePlus 5 acompanha também a tendência do mercado, oferecendo 64 GB ou 128 GB de armazenamento interno, suficiente para armazenar todos os dados que precisa.

Câmara dupla

Acompanhando também as tendências do mercado neste ponto, o OnePlus 5 traz uma câmara dupla com sensores Sony de 16 MP, com abertura focal f/1.7 e 20 MP com abertura focal f/2.6.

A câmara do OnePlus 5 promete tirar boas fotografias, no entanto, para muitos utilizadores, a câmara foi também um ponto com algumas desilusões, com a OnePlus a equipar o seu topo de gama com EIS, em vez de OIS, além de ter deixado de fora a focagem a laser.

Dash Charge

Numa altura em que as baterias pouco evoluem é importante encontrar estratégias que permitam estender o tempo de utilização dos smartphones. Assim, surgiram as tecnologias de carregamento rápido que permitem, num pequeno espaço de tempo, carregar grande parte da bateria.

O Dash Charge é a tecnologia de carregamento rápido desenvolvida pela OnePlus e que promete carregar o smartphone de forma rápida.

Interface e desempenho

O OnePlus 5 vem acompanhado de Android 7.1.1, com interface OxygenOS. Esta ROM é muito idêntica ao popularmente conhecido “Android puro”, conseguindo misturar uma forte componente de personalização ao estilo do que poderíamos encontrar na CyanogenMod.

Personalização do sistema

Dentro destas opções de personalização podemos encontrar, por exemplo o tema claro ou escuro, a escolha da cor dos botões e textos de destaque, escolher o que cada botão capacitivo faz num toque, toque prolongado ou duplo toque, definir controlo por gestos, personalizar o Alert Slider, personalizar a barra de estado, entre muitas outras opções.

Opções de ecrã

Nas opções de ecrã, além dos tradicionais modos de noite e leitura, podemos calibrar o ecrã com os modos Padrão, sRGB, DCI-P3 e por personalização da cor. Existe também o modo “Elevar ecrã” que, sempre que levanta o smartphone mostra as horas e as notificações, embora este modo seja considerado um “papão de bateria”.

Modo jogo

Nas opções avançadas da OxygenOS, foi introduzido um curioso modo intitulado de “A jogar, não incomodar” ideal para aqueles que pretendem jogar sem ser perturbados por uma notificação. Neste modo, que pode ser ativado a partir da barra de notificações, o sistema bloqueia as notificações (com excepção de chamadas e alarmes) e bloqueia os botões capacitivos. Para este modo pode ser definida uma lista de aplicações em que o utilizador quer que o sistema corra automaticamente este modo ao iniciar.

Gestão de app recente

Embora a RAM não seja um problema deste smartphone, a OnePlus introduziu o modo “Gestão de app recente” que fornece duas opções: Limpeza normal ou limpeza profunda. Estas opções influenciam diretamente a agressividade com que o sistema lida com os processos em segundo plano.

Editar etiqueta e ações por clique prolongado

Uma das opções que achei curiosa foi a opção de renomear a etiqueta de uma aplicação, que nada mais é do que alterar o nome com que é apresentada a aplicação. Além disso, estão também disponíveis os atalhos rápidos do Android 7.1 para algumas aplicações como as definições e o Chrome.

Duplo toque para ativar o ecrã

Uma das coisas que as marcas têm abandonado com os sensores de impressões digitais é o duplo toque para desbloquear o ecrã. Embora baste um simples toque no sensor de impressões digitais para desbloquear o smartphone, por vezes apenas queremos ver as notificações, dando para isso jeito o duplo toque para acordar o ecrã.

Maturidade da OxygenOS

Apesar da ROM estar totalmente funcional e sem nenhum erro grave, nos últimos tempos têm surgido relatos de vários problemas com este smartphone. Embora alguns, como o “efeito gelatina”, sejam problemas de hardware, muitos outros carecem apenas de uma atualização de software para ser resolvido.

Tendo em conta o número de pequenos erros que têm surgido, arrisco-me a dizer que o OnePlus 5 foi lançado com um software que poderia ser considerado beta, com os primeiros utilizadores a servirem de beta tester para uma ROM que dentro de pouco tempo deve estar bastante mais madura e otimizada.

Desempenho

A nível de desempenho, tudo no OnePlus 5 é rápido e fluído. Desde o primeiro dia que o comecei a utilizar até hoje, todas as aplicações abrem instantaneamente e sem se recusarem a qualquer tarefa. Claro que, estando a utilizar o Snapdragon 835, que já tão bem conhecemos de outros modelos, tal desempenho não deve ser surpresa.

Mas, na verdade, o que foi realmente surpresa para mim foi o multitasking para o qual contribuem os 8 GB de RAM que o OnePlus 5 em testes dispunha. É verdadeiramente incrível a quantidade de memória disponível e que não se esgota. Facilmente estou a jogar um jogo num dia à noite, carrego no botão home deixando o jogo a correr em segundo plano e, no dia seguinte, ao iniciar o jogo ele vai continuar exatamente no mesmo ponto, mesmo que já tenham passado algumas horas e bastantes processos pelo meio. Este é mesmo o ponto que mais me fascinou e que permitiu uma utilização despreocupada sem que o sistema tivesse que encerrar qualquer processo.

A nível de benchmark, obtivemos os seguintes testes:

  • AnTuTu v.6.2.7
    • 178641 pontos
  • Geekbench 4
    • Single-Core: 1949 pontos
    • Multi-Core: 6461 pontos

Embora muita polémica tenha havido em torno dos resultados de benchmark do OnePlus 5, na verdade existe realmente uma espécie de “modo desempenho” automático que ativa todo o potencial do processador para fazer o teste. Na verdade, o OnePlus 5 apenas utiliza todos os recursos que dispõe no teste, não usando em qualquer momento qualquer overclocking. Este resultado é, portanto, obtido através do funcionamento do processador no topo das suas capacidades, processamento este que é obtido, por exemplo, em jogos mais pesados.

Câmaras

Sendo um dos principais focos na apresentação do OnePlus 5, este foi também um dos pontos mais criticados. Após as promessas de uma câmara fantástica, aliado ao anúncio de uma parceria com a DxO Labs, as expectativas não foram cumpridas.

É então a câmara do OnePlus 5 má? Claro que não, é até bem acima da média, no entanto, foi uma clara falha na gestão de expectativas, onde os fãs esperavam algo fantástico e verdadeiramente surpreendente e receberam uma câmara excelente, mas ao nível das restantes já presentes no mercado.

A aplicação de câmara do OP5 é bastante simples, ao contrário por exemplo do Honor 9 analisado na semana passada, estando divida nas seguintes opções:

  • Foto (Onde incluí o modo retrato)
  • Vídeo
  • Retrato
  • Modo Pro
  • Lapso de tempo
  • Câmara lenta
  • Panorama

Destaco o modo pro que, além dos habituais controlos manuais, apresenta logo um nivelador e um gráfico com informações como o ISO, a abertura e o balanço dos brancos.

Durante o dia, as fotografias captam boas cores, mostram um bom nível de detalhe e além de apresentar uma boa focagem. Nestas condições, as fotografias estão ao nível de outros topos de gama, embora por vezes se notem umas ligeiras falhas de detalhe aleatórias nos elementos em segundo plano.

Outro destaque dado pela OnePlus foi o modo retrato. Este foi bastante trabalhado para utilizar as duas câmaras em pleno e conseguir um bom resultado final.

Se existe um grande calcanhar de Aquiles nas câmaras dos smartphones são as fotografias noturnas. Com o lançamento do OnePlus 5, a marca chinesa prometia uma grande melhoria neste ponto, o que não se veio a confirmar.

Analisando no geral, na verdade as fotografias são boas, captam bem a luz e o desempenho é muito satisfatório. No entanto, ainda está longe daquilo que foi prometido, além de, por vezes, criar bastante ruído nas fotografias. Como já vem sendo hábito, a prestação da câmara deve melhorar nos próximos tempos com as atualizações de otimização.

Por fim chegamos a outro ponto sensível, o vídeo. Para desagrado de muitos fãs, o OP5 não trouxe estabilização por OIS, optando por uma estabilização EIS. Se isto já era uma desilusão para fãs, piorou ainda quando se descobriu que o EIS estava bloqueado na gravação a 4K. A OnePlus já disse que, numa futura atualização o EIS vai também chegar à resolução 4K, embora não tenha dado datas para essa atualização.

No vídeo seguinte podemos ver duas gravações realizadas no mesmo sítio, uma com em 4K (sem EIS) e outra em 1080p (com EIS). Embora se notem algumas diferenças, beneficiando a presença do EIS, a estabilização continua a deixar um pouco a desejar.

Autonomia

Anteriormente referimos que este é um excelente smartphone para multitasking devido à sua enorme quantidade de RAM. Mas manter as aplicações em segundo plano sempre a correr não colocará em risco a autonomia?

É certo que as aplicações de fundo gastam sempre um extra considerável de bateria. No entanto, e tendo em conta a minha utilização intensiva, o OnePlus 5 aguentou sempre um dia de bateria com os dados sempre ligados, jogos frequentes, navegar no Chrome, responder a mensagens constantes, chamadas, entre outros.

Para utilizadores com uma utilização mais moderada, este smartphone deverá chegar facilmente ao dia e meio ou dois dias de bateria.

A nível de carga, o OnePlus 5 traz a já conhecida tecnologia Dash Charge que carrega a bateria mais rápido, demorando cerca de 1 hora.

Veredicto

Depois de testar o OnePlus 5, e depois de ouvir muitas das críticas que pela Internet circulam, acho que foi criado um curioso Hype gigante contra a OnePlus, por aqueles que acusam a própria OnePlus de ser um Hype.

Tendo em conta que é um topo de gama, o OP5 carece de algumas características como a certificação IP68, a focagem a laser ou mesmo o OIS. No entanto, embora ainda precise de umas boas otimizações, com o tempo, como aconteceu com o OnePlus 3/3T, as atualizações irão tratar de o afinar quer em desempenho, como na autonomia e na câmara.

A nível de desempenho, nada há a apontar, com o OnePlus 5 a correr todas as tarefas a que foi proposto sem qualquer tipo de problemas. Os 8 GB de RAM que o OP5 em testes dispunha permitem um multitasking brilhante, sendo possível fazer uma utilização totalmente despreocupada com o encerramento de processos.

A nível de interface, a OxygenOS nunca foi das melhores ROM para Android, no entanto tem melhorado ao longo dos tempos. Seguindo as linhas do Android base, acrescenta o seu toque de customização, muito ao estilo do que a CyanogenMod nos oferecia.

Em relação à câmara, esta ainda tem um longo percurso pela frente de afinações e otimizações para que se torne realmente numa das melhores do mercado. Atualmente, já tira boas fotos, no entanto, ainda existe demasiado ruído ou alguma falta de detalhe pontual nos elementos em segundo plano.

A nível de autonomia, a bateria aguenta sem grandes cuidados da minha parte um dia inteiro de uma utilização intensiva. Se por alguma razão a bateria não chegar, o Dash Charge repõe também rapidamente uma grande parte da bateria.

O ecrã transmite bem as cores e tem uma boa qualidade de imagem, no entanto, tem uma má legibilidade ao sol, o que pode dificultar a utilização na rua durante o dia.

Resumidamente, embora não seja perfeito e lhe faltem alguns pormenores, o OnePlus 5 oferece alguns dos melhores componentes do mercado aliado a uma boa experiência de uso. Muitas das críticas que se tem levantado, na minha opinião, não têm grande fundamento, estando este smartphone bem conseguido. Embora ainda tenha um longo caminho a percorrer, as atualizações dos próximos meses irão afinar todos os pormenores, tornando o OnePlus 5 ainda melhor.

O OnePlus 5 está disponível a partir de 499€ na loja oficial ou a partir de 420€ na Gearbest, utilizando o código ROnePlus.

O Pplware agradece à OnePlus a cedência do OnePlus 5 para análise.

OnePlus 5

OnePlus 5 8.82 Design

8/10

Ecrã

9/10

Desempenho

10/10

Câmara

9/10

Autonomia

9/10

Prós
  • RAM disponível
  • Dash Charge
  • Processamento
  • Alert Slider
Contras
  • SO e câmara ainda pouco maduros
  • Falta de OIS
  • Falta do certificação IP68
  • Visibilidade do ecrã ao sol
1
1