www.jn.ptAntónio Fontainhas Fernandes - 18 jul 00:00

Agenda ambiental: o exemplo das universidades

Agenda ambiental: o exemplo das universidades

Prevê-se que no início de agosto a humanidade já terá consumido a totalidade dos recursos que o planeta é capaz de renovar anualmente. Este momento, em cada ano, chega cada vez mais cedo e, a partir dessa data, "viveremos a crédito". Conscientes desta situação, diversas vozes têm mostrado crescente preocupação com esta "dívida ecológica" para com a Terra.

As universidades, enquanto instituições que apostam na transmissão de valores intergeracionais, devem assumir um papel central na promoção do desenvolvimento sustentável e contribuir proativamente para a consciencialização dos jovens. Estes, enquanto futuros decisores, devem incluir na sua prática profissional preocupações ambientais e ser socialmente responsáveis.

Indubitavelmente, as universidades devem constituir bons exemplos ambientais, promovendo sistemas de gestão ambiental nos seus campi, privilegiar modos suaves de mobilidade, amigos do ambiente, entre outras práticas. Foi neste contexto que a UTAD construiu o plano estratégico para o próximo quadriénio, tendo como referência os objetivos de desenvolvimento sustentável definidos pela ONU na Agenda 2030, entre os quais se destacam os compromissos para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos, proteger o ambiente e combater as alterações climáticas.

Esta agenda da UTAD exige a utilização de fundos estruturais na área do ambiente, como é o caso da eficiência energética. A universidade vai privilegiar o uso de materiais amigos do ambiente, da energia solar fotovoltaica e promover a substituição do gás natural por biomassa e dos sistemas de iluminação convencionais por tecnologias LED. Estas intervenções vão conduzir à diminuição das emissões de gases com efeito de estufa e do consumo anual de energia primária. No plano da mobilidade, a universidade vai capacitar o campus, inserido num conhecido Jardim Botânico, com vias que condicionem o trânsito automóvel e privilegiem a circulação a pé e de bicicleta.

As intervenções previstas para os próximos anos vão consolidar o campus da UTAD como um símbolo de sustentabilidade ambiental, de descarbonização e de redução da pegada ecológica.

Em síntese, o futuro do planeta convoca ao envolvimento da comunidade científica e da sociedade, em entendimentos à escala global e a novas práticas do quotidiano. A comunidade científica tem obrigação de dar o exemplo.

O futuro do planeta convoca ao envolvimento da comunidade científica e da sociedade, em entendimentos à escala global e a novas práticas do quotidiano. A comunidade científica tem obrigação de dar o exemplo.

* REITOR DA UTAD

1
1