www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 17 jul 21:22

Wall Street sem direcção marcada à espera de mais resultados da banca

Wall Street sem direcção marcada à espera de mais resultados da banca

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno misto, com descidas e subidas muito marginais. Os títulos ligados aos metais ganharam terreno, mas a cautela impera neste arranque da época de divulgação dos resultados do segundo trimestre, com a banca em destaque esta semana.

O Dow Jones fechou a ceder 0,04% para 21.629 pontos, depois de na passada sexta-feira ter marcado a meio da sessão um novo máximo de sempre ao tocar nos 21.681,53 pontos.

Também o Standard & Poor’s 500 terminou com cedências ligeiras, a resvalar apenas 0,01%, para 2.458,98 pontos. Na sessão de 14 de Julho, o S&P 500 estabeleceu um novo recorde, fixando-se num patamar onde nunca antes tinha estado, ao ser catapultado na negociação intradiária para os 2.463,54 pontos. E, com este feito, atingiu um outro marco: o 25º máximo histórico deste ano.

Por seu lado, o índice tecnológico Nasdaq Composite subiu muito marginalmente, ao registar um ganho de 0,03% para 6.314,43 pontos.

Os metais industriais e preciosos têm estado a ganhar terreno, o que tem impulsionado os títulos ligados a este sector, como é o caso das acções mineiras. O zinco e cobre, muito especialmente, têm estado a ser beneficiados pelo crescimento económico na China a um ritmo superior ao esperado, no segundo trimestre, o que deixa antecipar uma maior procura.

No entanto, o mercado prefere usar de prudência numa altura em que começam a ser divulgados os resultados do segundo trimestre nos EUA, com destaque esta semana para a banca.

Depois de na semana passada já terem sido conhecidos os resultados do Citigroup, JPMorgan Chase e Wells Fargo, amanhã será a vez do Goldman Sachs e do Bank of America reportarem contas e no diz seguinte teremos o Morgan Stanley e o American Express a fazerem o mesmo.

O JPMorgan Chase, o Citigroup e o Wells Fargo foram os bancos que deram o pontapé de saída no reporte dos resultados do segundo trimestre nos EUA e as contas agradaram aos investidores, ao ficarem grandemente em linha com o esperado.

Esta semana, nas tecnologias, destaque para a apresentação das contas da IBM amanhã e da Microsoft na quinta-feira, ambas depois do fecho das bolsas do outro lado do Atlântico.

Reuters

O Dow Jones fechou a ceder 0,04% para 21.629 pontos, depois de na passada sexta-feira ter marcado a meio da sessão um novo máximo de sempre ao tocar nos 21.681,53 pontos.

Também o Standard & Poor’s 500 terminou com cedências ligeiras, a resvalar apenas 0,01%, para 2.458,98 pontos. Na sessão de 14 de Julho, o S&P 500 estabeleceu um novo recorde, fixando-se num patamar onde nunca antes tinha estado, ao ser catapultado na negociação intradiária para os 2.463,54 pontos. E, com este feito, atingiu um outro marco: o 25º máximo histórico deste ano.

Por seu lado, o índice tecnológico Nasdaq Composite subiu muito marginalmente, ao registar um ganho de 0,03% para 6.314,43 pontos.

Os metais industriais e preciosos têm estado a ganhar terreno, o que tem impulsionado os títulos ligados a este sector, como é o caso das acções mineiras. O zinco e cobre, muito especialmente, têm estado a ser beneficiados pelo crescimento económico na China a um ritmo superior ao esperado, no segundo trimestre, o que deixa antecipar uma maior procura.

No entanto, o mercado prefere usar de prudência numa altura em que começam a ser divulgados os resultados do segundo trimestre nos EUA, com destaque esta semana para a banca.

Depois de na semana passada já terem sido conhecidos os resultados do Citigroup, JPMorgan Chase e Wells Fargo, amanhã será a vez do Goldman Sachs e do Bank of America reportarem contas e no diz seguinte teremos o Morgan Stanley e o American Express a fazerem o mesmo.

O JPMorgan Chase, o Citigroup e o Wells Fargo foram os bancos que deram o pontapé de saída no reporte dos resultados do segundo trimestre nos EUA e as contas agradaram aos investidores, ao ficarem grandemente em linha com o esperado.

Esta semana, nas tecnologias, destaque para a apresentação das contas da IBM amanhã e da Microsoft na quinta-feira, ambas depois do fecho das bolsas do outro lado do Atlântico.

1
1